Números

Capítulo Versículos Trecho
1 1-4 I. O recenseamento
5-19 Os encarregados do recenseamento
20-47 O recenseamento
48-54 Estatuto dos levitas
2 1-34 Ordem das tribos
3 1-4 A tribo de Levi: A. Os sacerdotes
5-10 B. Os levitas. Suas funções
11-13 C. A eleição dos levitas
14-39 D. O recenseamento dos levitas
40-51 E. Os levitas e o resgate dos primogênitos
4 1-20 Os clãs dos levitas: A. Os caatitas
21-28 B. Os gersonitas
29-33 C. Os meraritas
34-49 Recenseamento dos levitas
5 1-4 Expulsão dos impuros II. Leis diversas
5-10 A restituição
11-31 A oferta pelo ciúme
6 1-21 O nazireato
22-27 A fórmula da bênção
7 1-9 Oferenda de carros III. Oferendas dos chefes e consagração dos levitas
10-89 Oferenda da Dedicação
8 1-4 As lâmpadas do candelabro
5-22 Os levitas são oferecidos a Iahweh
23-26 O tempo de serviço dos levitas
9 1-5 Data da Páscoa IV. A Páscoa e a partida
6-14 Caso particular
15-23 A Nuvem
10 1-10 As trombetas
11-28 A ordem de partida
29-32 Proposta de Moisés a Hobab
33-36 A partida
11 1-3 Tabera V. Etapas no deserto
4-9 Cibrot-ataava. Queixas do povo
10-15 Intercessão de Moisés
16-23 A resposta de Iahweh
24-30 Efusão do Espírito
31-35 As codornizes
12 1-3 Maria e Aarão contra Moisés
4-10 Resposta divina
11-16 Intercessão de Aarão e de Moisés
13 1-24 Exploração de Canaã
25-33 O relatório dos enviados
14 1-9 Revolta de Israel
10-19 Ira de Iahweh e intercessão de Moisés
20-38 Perdão e castigo
39-45 Tentativa fracassada dos israelitas
15 1-16 A oblação que acompanha os sacrifícios VI. Disposições sobre os sacrifícios. Poderes dos sacerdotes e dos levitas
17-21 As primícias do pão
22-31 Expiação das faltas cometidas por inadvertência
32-36 Violação do sábado
37-41 As borlas das vestes
16 1-15 Rebelião de Coré, Datã e Abiram
16-35 O castigo
17 1-5 Os incensórios
6-15 A intercessão de Aarão
16-26 O ramo de Aarão
27-28 O papel expiatório do sacerdócio
18 1-7
8-19 A parte dos sacerdotes
20-24 A parte dos levitas
25-32 Os dízimos
19 1-10 As cinzas da novilha vermelha
11-16 Caso de impureza
17-22 Ritual das águas lustrais
20 1-11 As águas de Meriba VII. De Cades a Moab
12-13 Castigo de Moisés e de Aarão
14-21 Edom recusa passagem
22-29 Morte de Aarão
21 1-3 Tomada de Horma
4-9 A serpente de bronze
10-20 Etapas em direção à Transjordânia
21-35 Conquista da Transjordânia
22 1
2-21 O rei de Moab recorre a Balaão
22-35 A jumenta de Balaão
36-41 Balaão e Balac
23 1-3
4-30 Oráculos de Balaão
24 1-25
25 1-18 Israel em Fegor
19 O recenseamento VIII. Novas disposições
26 1-56
57-65 Recenseamento dos levitas
27 1-11 A herança das filhas
12-23 Josué, chefe da comunidade
28 1-3a Especificações sobre os sacrifícios
3b-8 A. Sacrifícios cotidianos
9-10 B. O sábado
11-15 C. A neomênia
16-25 D. Os Ázimos
26-31 E. A festa das Semanas
29 1-6 F. A festa das Aclamações
7-11 G. O dia das Expiações
12-39 H. A festa das Tendas
30 1
2-17 Leis sobre os votos
31 1-12 Guerra santa contra Madiã IX. Despojos de guerra e partilha
13-24 Massacre das mulheres e purificação dos despojos de guerra
25-47 Divisão dos despojos de guerra
48-54 As oferendas
32 1-42 Divisão da Transjordânia
33 1-49 As etapas do Êxodo
50-56 Partilha de Canaã. A ordem de Deus
34 1-15 Fronteiras de Canaã
16-29 Os príncipes indicados para a partilha
35 1-8 A parte dos levitas
9-34 As cidades de refúgio
36 1-12 A herança da mulher casada
13 Conclusão

Fonte: Bíblia de Jerusalém.

Futebol

Futebol

Logo no segundo dia da Copa, fiz o seguinte comentário no Facebook:

Balanço de um jogo e meio de Copa: um pênalti mal marcado a favor do Brasil, dois gols do México mal anulados. Que me desculpem meus amigos fãs, mas futebol cada vez mais prova que é esporte pra otário, pra quem gosta de ser enganado.

Ontem, após um comentário de que havia perdido os 2 gols primeiros gols de Nigéria x Argentina, meu amigo Ronaldo, gozador como sempre, comentou:

Uai Zé, pensei que você não via mais futebol rsrsrs

Não sei se a intenção foi mostrar uma possível contradição, mas o comentário conseguiu chamar a minha atenção. Parei pra pensar no assunto, e daí surgiu esse post.

Por que eu acho que “futebol é esporte pra otário” mas continuo assistindo? Minha resposta foi simples: “Ver eu vejo. Só não torço.” Foi isso que mudou na minha “vida futebolística” de uns 2 ou 3 anos pra cá. Geralmente, assisto os jogos distraído, fazendo alguma outra coisa: lendo, batendo papo, ouvindo música, navegando na internet, dando algumas paradas só pra curtir os lances mais bonitos, quando o locutor aumenta o tom de voz. Se o jogo estiver embolado, esqueço; se estiver mais movimentado, paro o que estou fazendo pra acompanhar melhor. E só. Torcer, que é bom, não torço mais.

Mas o que mais me irrita no futebol é que ele poderia ao menos tentar melhorar, mas não quer. Alega-se que o bom é a “polêmica” no dia seguinte. O problema é que a polêmica acaba ficando acima da justiça, e isso pra mim é inaceitável. Se há maneiras razoáveis de tentar eliminar as injustiças mas não se tenta, a explicação é, na melhor das hipóteses, o apreço pela injustiça, e na pior, pela manipulação de resultados.

Nessa Copa já houve uma mudança, que foi o sensor que indica se a bola entrou ou não. Já é um ótimo avanço, mas daria pra tentar fazer muito mais. E olha que nem é necessário pensar muito; dá pra copiar o que já existe em outros esportes. Destaco alguns pontos:

Replay

Numa Copa do Mundo, com 472 câmeras em campo, por que não parar o jogo por alguns segundos para assistir um replay antes de decidir? Sério, é tão simples! Faça-se como no basquete: a decisão do juiz é o que vale a princípio, mas se o replay mostrar que o juiz errou, a decisão é revertida. Pra não ficar parando muito o jogo, basta definir um número máximo de revisões que cada treinador pode pedir. Simples!

Dá pra usar isso em todo e qualquer campeonato? Não. Mas nas competições maiores não vejo desculpa para não usar esse recurso.

Cera

Quer coisa mais irritante que os timecos que fazem 1×0 e começam a cair por qualquer besteira só pra ganhar tempo? Contem só o tempo de bola rolando! A bola saiu? Fizeram uma falta? Um jogador caiu, machucado? Substituição? Parem o cronômetro até que a bola volte a rolar.

O jogo vai ficar muito longo? Vai. Diminuam o tempo, então. 30 ou35 minutos de bola rolando devem dar mais ou menos os 45 de tempo corrido. Com isso, a cera praticamente acabaria.

Impedimento

Não sei por que isso ainda existe. Acabem com o impedimento e vai sobrar muito mais espaço no campo, aumentando o número de gols. Talvez fique esquisito, mas custa tentar? Pega um sub-17 desses, em que os moleques correm mais que a Mercedes na F1 desse ano, e testa!

Os jogadores vão se cansar muito? Provavelmente, mas isso é fácil de resolver: aumentem o número de substituições, ou até retirem o limite de substituições, sei lá!

Disputa de pênaltis

Isso pra mim sempre foi a pior coisa do futebol. Gosto mais do modelo da NFL, NBA e NHL, onde há prorrogações infinitas, até que haja desempate.

O jogo pode ficar longo demais? Pode. NBA e NFL têm jogos com muitos pontos, então é mais difícil haver muitas prorrogações seguidas. Um jogo de NFL nunca passou da segunda prorrogação porque há a tal “morte súbita”: o primeiro ponto termina o jogo. Na NBA já se chegou à sexta prorrogação porque a “morte súbita” não existe é (até porque seria injusto). Já a NHL é mais parecida com o futebol, pois as partidas têm pontuação mais baixa. Aí a coisa pode complicar um pouco. Lá, a sequência de prorrogações mais longa durou 116 minutos. É tempo pra burro! E olha que esse foi o tempo só das prorrogações, não do jogo todo.

É dureza? Sim. Mas muito mais emocionante. E novamente: os jogadores vão se cansar muito? Certamente, mas há solução pra isso, como já citei acima.

A propósito, tem uma outra solução que já vi funcionar na prática, e achei muito interessante. E essa solução eu vi — pasmem — numa das edições do infame MTV Rockgol. Nessa edição, os jogos eliminatórios começavam com a disputa de pênaltis. Isso mesmo: a disputa de pênaltis desempatava o jogo antes mesmo de ele começar. O resultado é que nunca haverá aquela situação em que os dois times ficam enrolando com a bola pra esperar o tempo passar e ir pra disputa de pênaltis, pois durante todo o jogo haverá uma equipe em desvantagem, tendo que partir pra cima. Achei muito interessante a ideia…

Resumo

Ao terminar de escrever, reli minha lista e percebi que o que me incomoda no futebol é justamente o que atrapalha o futebol, o que o impede de ser mais bonito. Futebol é bom de se ver, mas enquanto insistirem em preferir o injusto, vou continuar só assistindo. Não dá pra torcer; seria masoquismo…

Levítico

Capítulo Versículos Trecho
1 1-17 Os holocaustos I. Ritual dos sacrifícios
2 1-16 A oblação
3 1-17 O sacrifício de comunhão
4 1-12 O sacrifício pelo pecado: a) do sumo sacerdote
13-21 b) da Assembleia de Israel
22-26 c) de um chefe
27-35 d) de um homem do povo
5 1-6 Casos diversos de sacrifício pelo pecado
7-13 Sacrifício pelo pecado do homem do povo (continuação)
14-26 Sacrifício de reparação
6 1-6 O sacerdócio e os sacrifícios – A. O holocausto
7-16 B. A oblação
17-23 C. O sacrifício pelo pecado
7 1-6 D. O sacrifício de reparação
7-10 Direitos dos sacerdotes
11-15 E. O sacrifício de comunhão: a) sacrifício com louvor
16-17 b) sacrifícios votivos ou voluntários
18-27 Regras gerais
28-34 Parte dos sacerdotes
35-38 Conclusão
8 1-36 Ritos de consagração II. A investidura dos sacerdotes
9 1-24 Entrada dos sacerdotes em função
10 1-3 Regulamentação complementar. A. Gravidade das irregularidades. Nadab e Abiú
4-5 B. Retirada dos corpos
6-7 C. Regras especiais de luto para os sacerdotes
8-11 D. Proibição do uso de vinho
12-15 E. A parte dos sacerdotes nas oferendas
16-20 F. Regra especial referente ao sacrifício pelo pecado
11 1-8 Animais puros e impuros. A. Animais terrestres III. Regras referentes ao puro e ao impuro
9-12 B. Animais aquáticos
13-19 C. Aves
20-23 D. Insetos alados
24-28 O contato com animais impuros
29-30 E. Animais que vivem na terra
31-40 Outras regras sobre os contatos impuros
41-45 Considerações doutrinais
46-47 Conclusão
12 1-8 Purificação da mulher depois do parto
13 1-8 A lepra humana: A. Tumor, dartro e mancha
9-17 B. Lepra inveterada
18-23 C. Úlcera
24-28 D. Queimadura
29-37 E. Afecções do couro cabeludo
38-39 F. Exantema
40-44 G. Calvície
45-46 Lei sobre o leproso
47-59 Lepra das vestes
14 1-32 Purificação do leproso
33-57 Lepra das casas
15 1-18 Impurezas sexuais: A. do homem
19-30 B. da mulher
31-33 Conclusão
16 1-34 O grande Dia das Expiações
17 1-16 Imolações e sacrifícios IV. Lei de santidade
18 1-30 Proibições sexuais
19 1-37 Prescrições morais e cultuais
20 1-7 Castigos – A. Faltas cultuais
8-21 B. Faltas contra a família
22-27 Exortação final
21 1-9 Santidade do sacerdócio – A. Os sacerdotes
10-15 B. O sumo sacerdote
16-24 C. Impedimentos ao sacerdócio
22 1-9 Santidade na participação das ofertas sagradas – A. Os sacerdotes
10-16 B. Os leigos
17-30 C. Os animais sacrificados
31-33 D. Exortação final
23 1-2 Ritual das festas do ano:
3-4 A. O sábado
5-8 B. A Páscoa e os Ázimos
9-14 C. O primeiro feixe
15-22 D. A festa das Semanas
23-25 E. O primeiro dia do sétimo mês
26-32 F. O dia das Expiações
33-36 G. A festa das Tendas
37-38 Conclusão
39-44 Continuação sobre a festa das Tendas
24 1-4 Prescrições rituais complementares. A. A chama permanente
5-9 B. Os pães sobre a mesa de ouro
10-23 Blasfêmia e lei do talião
25 1-7 Os anos santos. A. O ano sabático
8-17 B. O ano do jubileu
18-22 Garantia divina para o ano sabático
23-34 Resgate das propriedades
35-55 Resgate de pessoas
26 1-2 Resumo. Conclusão
3-13 Bênçãos
14-46 Maldições
27 1-8 A. Pessoas Apêndice Tarifas e avaliações
9-13 B. Animais
14-15 C. Casas
16-25 D. Campos
26-27 Regras particulares para resgate: a) dos primogênitos
28-29 b) do anátema
30-34 c) dos dízimos

Fonte: Bíblia de Jerusalém.