Evangelho segundo São João

Capítulo Versículos Trecho
1 1-18 Prólogo
19-34 O testemunho de João O ministério de Jesus 1. O anúncio da nova economia A. A semana inaugural
35-51 Os primeiros discípulos
2 1-12 As núpcias de Caná
13-22 A purificação do Templo B. A primeira Páscoa
23-25 Estada em Jerusalém
3 1-21 O encontro com Nicodemos
22-36 Ministério de Jesus na Judeia. Último testemunho de João
4 1-42 Jesus entre os samaritanos
43-45 Jesus na Galileia
46-54 Segundo sinal em Caná: cura do filho de um funcionário real
5 1-18 Cura de um enfermo na piscina de Betesda 2. Segunda festa em Jerusalém (primeira oposição à revelação)
19-47 Discurso sobre a obra do Filho
6 1-15 A multiplicação dos pães 3. A Páscoa do pão da vida (nova oposição à revelação)
16-21 Jesus vem ao encontro de seus discípulos, caminhando sobre o mar
22-66 Discurso na sinagoga de Cafarnaum
67-71 A confissão de Pedro
7 1-24 Jesus sobe a Jerusalém para a festa e ensina 4. A festa das tendas (a grande revelação messiânica, a grande rejeição)
25-30 Discussões do povo sobre a origem de Cristo
31-36 Jesus anuncia a sua próxima partida
37-39 A promessa da água viva
40-52 Novas discussões sobre a origem de Cristo
53 A mulher adúltera
8 1-11
12 Jesus, luz do mundo
13-30 Discussão sobre o testemunho que Jesus dá de si mesmo
31-59 Jesus e Abraão
9 1-41 Cura de um cego de nascença
10 1-21 O bom pastor
22-39 A verdadeira identidade de Jesus 5. A festa da dedicação (a decisão de matar Jesus)
40-42 Jesus se retira de novo para o outro lado do Jordão
11 1-44 Ressurreição de Lázaro
45-54 Os chefes judeus decidem a morte de Jesus
55-57 A aproximação da Páscoa 6. Fim do ministério público e preliminares da última Páscoa
12 1-11 A unção de Betânia
12-19 Entrada messiânica de Jesus em Jerusalém
20-36 Jesus anuncia a sua glorificação através da morte
37-50 Conclusão: a incredulidade dos judeus
13 1-20 O lava-pés A hora de Jesus – A Páscoa do Cordeiro de Deus 1. A última ceia de Jesus com seus discípulos
21-30 O anúncio da traição de Judas
31-38 A despedida
14 1-31
15 1-17 A verdadeira videira
18-27 Os discípulos e o mundo
16 1-4a
4b-15 A vinda do Paráclito
16-33 Anúncio de pronto retorno
17 1-26 A oração de Jesus
18 1-11 A prisão de Jesus 2. A paixão
12-27 Jesus diante de Anás e Caifás. Negações de Pedro
28-40 Jesus diante de Pilatos
19 1-11
12-16a A condenação à morte
16b-22 A crucifixão
23-24 A partilha das vestes
25-27 Jesus e sua mãe
28-30 A morte de Jesus
31-37 O golpe de lança
38-42 O sepultamento
20 1-10 O sepulcro encontrado vazio 3. O dia da ressurreição
11-18 Aparição a Maria Madalena
19-29 Aparição aos discípulos
30-31 4. A primeira conclusão
21 1-23 Aparição à margem do lago de Tiberíades Epílogo
24-25 Conclusão

Fonte: Bíblia de Jerusalém.

Anúncios

Ponte miocárdica

Esse termo resume o que eu passei nos últimos 10 dias. Mas vamos ao começo de tudo:

Na segunda-feira retrasada, dia 16, por volta das 22 horas, enquanto assistia TV tranquilamente com a minha esposa, comecei a sentir dores no peito. Tenho um histórico de procurar o cardiologista sempre que sinto algo estranho, mas todas as vezes anteriores os exames não detectaram nada. Inclusive uma das vezes fui ridicularizado pelo cardiologista após sentir uma extra-sístole mais forte que o normal. Ele riu, dizendo que “não é nada”, como se minha atitude tivesse sido ridícula. Diante desse histórico, minha reação foi a de aguardar para ver se a dor passaria espontaneamente.

Passei uma péssima noite, praticamente sem conseguir dormir, pois a cada movimentação que fazia com meu corpo, sentia dores fortes no peito, associadas ao batimento cardíaco (cada batimento dava uma espécie de “pontada”). Logo pela manhã do dia 17, resolvi ir ao hospital. Lá, fiz um ECG, fiz um exame de sangue e tomei alguns remédios para a pressão, que nem estava muito alta (13×8), e com o tempo a dor foi diminuindo. Os exames não mostraram alteração nenhuma, e recebi um pedido para fazer uma cintilografia, que fui fazer imediatamente.

A cintilografia foi feita em duas etapas: a primeira em repouso, que fiz nesse mesmo dia, e a segunda na esteira, que fiz no dia 19. A médica que me atendeu disse que a princípio o exame não tinha detectado nada, mas que o resultado detalhado – e portanto mais exato – sairia em 3 dias. Já no dia seguinte (20), me ligaram dizendo que o resultado já estava pronto. Aproveitei para pegá-lo logo, já que havia uma consulta marcada com meu cardiologista no dia 21. O resultado apresentou uma alteração, mas minha ignorância no assunto não me permitiu saber o que era exatamente.

No sábado (21) fui à consulta, e ao ver o resultado o cardiologista recomendou um cateterismo. Me assustei bastante no início, mas como não havia nada a fazer, paciência… Combinamos de eu me apresentar no hospital para internação no domingo, dia 22, para fazer o cateterismo no dia seguinte (23) pela manhã. Logo após o exame – que correu muito bem – me informaram que não fora detectado entupimento algum, mas que eu possuía a tal “ponte miocárdica”. No dia seguinte (24), recebi alta.

Pelo que entendi, trata-se de um “defeito de fabricação”, onde uma das artérias, ao invés de passar sobre os músculos do coração, passa no meio deles. Assim, quando há exercício intenso (o que realmente ocorreu no dia 16 pela manhã), o próprio coração estrangula essa artéria, causando a dor. Ainda não pude conversar com o meu cardiologista – o que devo fazer amanhã – mas pelo (pouco) que entendi, não é nada muito grave. É uma condição que não é tratável, e com a qual terei que conviver para sempre.

Resolvi escrever aqui no blog porque sei que terei que explicar inúmeras vezes. Não quis dar uma notícia curta antes de saber o motivo para não causar preocupações desnecessárias, e só agora consegui ficar mais descansado para escrever o texto.

O fato é que já estou me recuperando bem do cateterismo, e estou muito satisfeito de ter descoberto qual é o problema que eu tenho. Quando tiver mais notícias aviso.

Um grande abraço a todos e um ótimo 2014!

Epístola aos Efésios

Capítulo Versículos Trecho
1 1-2 Endereço
3-14 O plano divino da salvação I. O mistério da salvação e da Igreja
15-23 Triunfo e supremacia de Cristo
2 1-10 Salvação gratuita em Cristo
11-22 A reconciliação dos judeus e dos gentios entre si e com Deus
3 1-13 Paulo, ministro do mistério de Cristo
14-21 A oração de Paulo
4 1-16 Apelo à unidade II. Exortação
17-32 A vida nova em Cristo
5 1-20
21-33 Moral doméstica
6 1-9
10-20 O combate espiritual
21-24 Notícias pessoais e saudação final

Fonte: Bíblia de Jerusalém.

Epístola de São Tiago

Capítulo Versículos Trecho
1 1 Endereço e saudação
2-4 O benefício das provações
5-8 A súplica confiante
9-11 O destino do rico
12-15 A provação
16-27 Receber a Palavra e pô-la em prática
2 1-13 O respeito devido aos pobres
14-26 A fé e as obras
3 1-12 Contra a intemperança na linguagem
13-18 A verdadeira e a falsa sabedoria
4 1-12 Contra as discórdias
13-17 Admoestação aos ricos
5 1-6
7-11 A vinda do Senhor
12-20 Exortações finais

Fonte: Bíblia de Jerusalém.

Cotas raciais

Cotas

O Governo é a favor das cotas raciais, certo?

Ou será que não?

Que tal analisarmos a cúpula do Governo para ver se isso é verdade? Que tal vermos se eles usam na prática o que pregam?

Visite a página do Governo com a lista de ministros escolhidos pelo governo, e verifique por si mesmo a proporção entre as raças: http://www2.planalto.gov.br/presidencia/ministros

Coloco abaixo uma cópia do conteúdo que estava lá hoje (12/02/2013) pela manhã:

Casa Civil Gleisi Helena Hoffmann
Ministério da Justiça José Eduardo Cardozo
Ministério da Defesa Celso Amorim
Ministério das Relações Exteriores Luiz Alberto Figueiredo Machado
Ministério da Fazenda Guido Mantega
Ministério dos Transportes César Borges
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Antônio Andrade
Ministério da Educação Aloizio Mercadante Oliva
Ministério da Cultura Marta Suplicy
Ministério do Trabalho e Emprego Manoel Dias
Ministério da Previdência Social Garibaldi Alves
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Tereza Campello
Ministério da Saúde Alexandre Padilha
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Fernando Pimentel
Ministério de Minas e Energia Edison Lobão
Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior
Ministério das Comunicações Paulo Bernardo Silva
Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antonio Raupp
Ministério do Meio Ambiente Izabella Teixeira
Ministério do Esporte Aldo Rebelo
Ministério do Turismo Gastão Dias Vieira
Ministério da Integração Nacional Francisco José Coelho Teixeira
Ministério do Desenvolvimento Agrário Pepe Vargas
Ministério das Cidades Aguinaldo Ribeiro
Ministério da Pesca e Aquicultura Marcelo Crivella
Secretaria-Geral da Presidência da República Gilberto Carvalho
Gabinete de Segurança Institucional José Elito Carvalho Siqueira
Advocacia-Geral da União Luís Inácio Lucena Adams
Controladoria-Geral da União Jorge Hage Sobrinho
Secretaria de Relações Institucionais Ideli Salvatti
Banco Central do Brasil Alexandre Tombini
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República Helena Chagas
Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Marcelo Côrtes Neri
Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Luiza Helena de Bairros
Secretaria de Políticas para as Mulheres Eleonora Menicucci de Oliveira
Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Maria do Rosário Nunes
Secretaria de Portos da Presidência da República Antonio Henrique Pinheiro Silveira
Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República Wellington Moreira Franco
Secretaria da Micro e Pequena Empresa Guilherme Afif Domingos

Epístola aos Romanos

Capítulo Versículos Trecho
1 1-7 Endereço
8-15 Ação de graças e oração
16-17 A tese da epístola
18-32 O julgamento já realizado A salvação pela fé 1. Como o homem é justificado? A. Todos os homens sem exceção sob o julgamento de Deus
2 1-16 A ira futura, para todos
17-29 Apóstrofe ao judeu não observante
3 1-8 Deus não é mais justo?
9-20 Todos são passíveis de julgamento
21-31 Revelação da justiça de Deus B. A justiça de Deus unicamente pela fé
4 1-25 Prova pela Escritura
5 1-11 A justificação, penhor de salvação 2. O homem justificado a caminho da salvação
12-21 Adão e Jesus Cristo
6 1-14 A. A vida com Cristo
15-23 O crente a serviço da justiça
7 1-6
7-13 O papel passado da Lei B. O homem sem Cristo sob o pecado
14-25 O homem entregue ao pecado
8 1-13 A vida no Espírito C. A vida do crente no Espírito
14-17 Filhos de Deus graças ao Espírito
18-27 Destinados à glória
28-30 O plano da salvação
31-39 Hino ao amor de Deus
9 1-5 Situação e salvação de Israel
6-13 1. A palavra de Deus não falhou
14-24 Deus não é injusto
25-29 A misericórdia de Deus
30-33 2. As razões da situação de Israel
10 1-21
11 1-15 O resto de Israel já é uma prova 3. Deus não rejeitou seu povo e o salvará
16-24 A oliveira silvestre e a oliveira cultivada
25-32 A salvação de todo Israel
33-36 Conclusão hínica
12 1-2 O culto espiritual A resposta dos crentes
3-13 Humildade e caridade na comunidade
14-21 Caridade para com todos os homens, mesmo para com os inimigos
13 1-7 Submissão aos poderes civis
8-10 A caridade, resumo da Lei
11-14 O cristão é filho da luz
14 1-23 Caridade para com os “fracos”
15 1-13
14-21 O ministério de Paulo Epílogo
22-33 Projetos de viagem
16 1-16 Recomendações e saudações
17-20 Advertência. Primeiro pós-escrito
21-24 Últimas saudações. Segundo pós-escrito
25-27 Doxologia

Fonte: Bíblia de Jerusalém.